São João da Boa Vista
MIN. 20 º C | MAX. 30 ºC
13/03/2017 | 15:30

Águas da Prata confirma a segunda morte de macaco por febre amarela

Guia São João | Jornalismo

A Vigilância Epidemiológica de Águas da Prata (SP) confirmou nesta segunda-feira (13) a morte de mais um macaco por febre amarela. O exame foi feito pelo Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, e é a segunda confirmação em macacos no município.

O animal foi encontrado por um morador em uma mata a cinco quilômetros da saída da cidade, no bairro rural Vargem do Paiol, no dia 27 de fevereiro. A Vigilância Epidemiológica informou que irá reforçar a campanha de vacinação preventiva contra a febre amarela nas propriedades rurais do município.

“Nós vamos reforçar neste sábado, a partir das 8h, iremos fazer em toda região ao redor do Paiol. Vamos passar de casa a casa naquele local para pegar todas as fazendas. As pessoas não devem deixar de vir passear, os cuidados são apenas se vacinar e usar repelente”, afirmou Roberta Reinaldi Diniz, enfermeira da Vigilância Epidemiológica.

Mosquito também transmite dengue, chikungunya, febre do Mayaro e febre amarela (Foto: Divulgação)Mosquito também transmite dengue, chikungunya, febre do Mayaro e febre amarela (Foto: Divulgação)

Primeiro caso
No dia 8 de março, a Secretaria Municipal de Saúde confirmou que um macaco encontrado morto na estrada que liga a cidade ao Pico do Gavião estava com febre amarela. Na ocasião, os moradores da zona rural receberam uma visita da Vigilância Epidemiológica, reforçando a campanha contra a doença e vacinando as pessoas que não tinham recebido a dose.

 

 

Mortes
A cidade de Américo Brasiliense (SP) registrou a primeira morte por febre amarela na região. A causa da morte de uma mulher de 67 anos foi confirmada no dia 23 de janeiro pela Vigilância Epidemiológica do município e pela Secretaria de Saúde de São Paulo, que afirmou se tratar de um caso autóctone, tendo a doença sido contraída no próprio estado.

Na sexta-feira (10), a Prefeitura de Araraquara confirmou a morte de um morador da cidade pela doença. O paciente, que não teve a identidade e idade divulgadas, passou mal e apresentou sintomas da doença na semana passada. Ele morreu na terça-feira (7), em um hospital de Sertãozinho.

A confirmação da doença foi feita pelo Departamento Regional de Saúde da região de Araraquara, porém a Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo informou que ainda investiga a causa da morte.

Imunização
Em Araraquara, a partir desta segunda-feira, todas as unidade de saúde vão ficar abertas para vacinação contra a febre amarela, de segunda à sexta-feira, das 7h30 às 16h. Antes, a vacina era aplicada apenas duas vezes por semana. Neste ano, já foram imunizadas 13.227 pessoas no município e, segundo a Secretaria de Saúde, a expectativa é vacinar outras 16 mil.

Sintomas
A doença se torna aparente de três a seis dias após a infecção, de acordo com o Ministério da Saúde. Os sintomas iniciais são febre, calafrios, dor de cabeça intensa, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza.

A maior parte das pessoas apresenta uma melhora após tais sintomas. Cerca de 20% a 40% das pessoas que desenvolvem a versão mais grave da doença (15% do total de infectados) podem morrer.

Recomendação
Das 42 cidades da região de cobertura da EPTV Central, apenas dez não estão na lista do Ministério da Saúde das áreas com recomendação da vacina contra a febre amarela.

A região já registrou uma morte em Américo Brasiliense e uma em Araraquara, além de um caso importado em São Carlos. São João da Boa Vista (SP) também confirmou um caso importado da doença.

Fonte: Globo.com

Seja o primeiro a comentar

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os Termos de Usuários, denuncie. Leia a Política de Privacidade para saber o que é impróprio ou ilegal.

Escreva um comentário...









Receba nossas novidades por e-mail

Siga-nos nas Redes Sociais



©2000-2018 Fleg e Webconn
Todos os direitos reservados - Portal Guia São João.